Sistema de Armazenagem e Dispensa de Produtos: A Desmaterialização das embalagens descartáveis na sociedade de consumo sustentável.

Autoras: Vanessa Espínola e Dayane Queiroz

Introdução

“O Desenvolvimento Sustentável E Aquele Que satisfaz como Necessidades das
Gerações Atuais sem comprometer a CAPACIDADE das Gerações Futuras de satisfazer
SUAS Próprias Necessidades”. (CMMAD – Brundtland, 1987).

O Presente Trabalho TEM Como Objetivo proporcionalidade Uma Mudança no
hábito de consumo de Embalagens Descartáveis.
“O consumo das Embalagens Plásticas se Torna hum Problema QUANDO E
descartado. Sua degradação em aterros é difícil e lenta. Uma Saida, that AINDA NÃO
determinação Totalmente o Problema, TEM SIDO Investir na Pesquisa de plásticos
biodegradáveis, that POR enquanto São MUITO MAIS Caros that resinas Petroquímicas “. ²

O Brasil Produz anualmente cerca de 88 Milhões de Toneladas de
Resíduo Sólido, Quantidade that aumenta aceleradamente a Cada ano,
devido principalmente AOS Produtos descartáveis.³
Todas quanto Soluções para a disposição final, dos lixos São Técnica e
ambientalmente insatisfatórias, de Implantação e Operação Muito caras e
Cada vez Mais escassos, devido Ao Problema de Espaço físico.
Como treze MAIORES Cidades São Responsáveis POR 31,9% de todo o lixo
urbano brasileiro e 1,8% (832 t / dia) E DESTINADO a aterros controlados UO
Sanitários, o Restante Sendo depositado em lixões e alagados. Trinta POR
cento do Resíduo Sólido Embalagens de São Paulo, Que Não foram projetas Para
Serem descartadas em aterros.4

A demanda POR Embalagens Plásticas Só tende a Aumentar Nos
Próximos ano e, se NÃO Houver bom Planejamento PARA O Gerenciamento
Desses Resíduos, como consequencias desastrosas Serao. Nenhuma Proposta
Atual resolver efetivamente o Problema, Assim como áreas available parágrafo
aterros tornam-se Cada Vez Mais escassas, como instalações de incineradores
Nem sempre São aprovadas Pela População custódio local, e Os Financeiros
e Políticos tornam-se incompatíveis com a Realidade dessas Regiões.
Considerando-se cessos Fatores EO aumento do Poder aquisitivo da
População acarretar em hum Maior consumo, contribuindo para á Geração
de Mais lixo, Torna-se necessaria Uma Tomada de posição urgente,
visando a Resolução do Problema, com a Criação de Alternativas Às
Embalagens Plásticas . Por derivar do Petróleo, recurso NÃO naturais
Renovável, Além dos Motivos Expostos, o tema Embalagem obriga a
Humanidade a Uma Mudança de atitude. Propomos Uma Mudança Efetiva
nsa Hábitos de consumo, visando a eliminação do Problema atraves da
desmaterialização das Embalagens Descartáveis, sugerindo Novas Formas
de Comportamento na sociedade em Conjunto.

Levando EM Conta OS Dados Disponíveis, entendemos Que
QUALQUÉR Medida Já proposal, vigente, E Insuficiente Para uma Solução verdadeira
fazer Problema, dada a Diferença Entre O Crescimento do consumo dessas
Embalagens, ea CAPACIDADE de Absorção representada Pelas Soluções
Atuais. Ela faz uma mudança radical, uma vez que é focada na

desmaterialização das Embalagens, atraves do Design e Tecnologia no
campo da sustentabilidade.

1. Mc Cracken – razão lógica para consumir

Para Grant McCracken 5 o princípio significado dos Bens de consumo
consiste do em SUA CAPACIDADE de Conter e de COMUNICAR significados
Culturais. Algumas vezes, EntreTanto, ESSE significado cultural NÃO E
evidenciados PARA O Consumidor, uma Percepção de Alguns Tipos de Informação
Natureza Dessa, estado o como, Exemplo POR, Depende Mais da auto
Consciência UO da Manipulação Que o individuo SOFRE. Para Mc Cracken,
OS Objetos de Bens de consumo, funcionam Como Uma especie de
Compensação, algo that tramita Entre o Que É verdade EO ideal é Isso ocorre
Pela CAPACIDADE Que Tem OS Bens de consumo de simbolizar
materialmente significados. O autor EUA ESSA Teoria Para explicar a
compulsão das Pessoas pelo Consumo, pois ELE Vê o consumismo Como
hum Fenômeno racional, em that OS PROPRIOS Bens PODEM Ser Divididos em
grupos e ASSIM Serem Classificados Conforme SUAS Características.
Chamado POR ELE de “Unidades de Diderot”, sos grupos de Objetos
compõem Estilos de vida. Uma das “Unidades de Diderot” é o “Efeito Diderot”, Onde OS grupos de Bens de consumo TEM UM Poder cultural,
Capaz de MODIFICAR UM estilo Pessoal, mante-lo, e Até alienar UO abrir OS
Olhos do Consumidor, caracterizando ASSIM, Uma Razão lógica parágrafo
consumir. Aqui utilizamos premissa Dessa, atribuindo Ao Projeto de
PRODUTO o “Efeito Diderot”.

2.1 Jean Baudrillard – razão emocional para consumir

Acabando com a lógica do Sistema de consumo, ELE Analisa o
consumismo, privilegiando OS Aspectos sociais, partindo do Conceito de
felicidade, parágrafo Explica-la e POR NÓS alocada Como Uma Razão emocional
parágrafo consumir. Baudrillard Ve a Estrutura da sociedade Ocidental Como
Uma fonte de diferenciação e discriminação social na Qual o consumo
acaba diferenciando hum individuo do Outro, Onde OS Bens Que possuímos
dizem Quem Somos. ISSO acaba estimulando o consumo excessivo, em
Que a Ordem de Produção sobrevive da obsolescência dos Produtos,
provocando Efeitos desastrosos Como o lixo ea Poluição. 6

2.2 Ezio Manzini – Serviços, produtos, sistemas.

“Para atingir a sustentabilidade ambiental, NÃO E APENAS Suficiente change O Que Já
Existe Como preconiza o redesenho, mas Pensar em Produtos, Serviços e Sistemas
Diferentes e Inovadores.” 7

Para Ezio Manzini, existem quatro níveis de Interferências fazer desenhador Que
São: o re-design ecológico dos Produtos Atuais; OS Projetos de Novos
Produtos Serviços OU, em substituição AOS Atuais; OS Projetos de Novos
Produtos Serviços OU intrinsecamente Sustentáveis; E Finalmente, OS
Projetos de Novos Cenários Que correspondam Ao estilo de vida
Sustentável. O Quarto Nível de interferencia PODE surgir atraves da
Criação de Produtos – Serviços UO Sistemas Alternativos de Produção,
Distribuição, Uso e Descarte, Além de Fazer Com que aconteçam Novas
Mudanças Sociais e Culturais, utilizando Uma Quantidade de Recursos
Ambientais AOS inferiores utilizados Hoje em Dia , aprofundando-se na busca
POR Soluções adequadas e considerando Todo o ciclo de vida do Produto,
influenciando o Comportamento do Consumidor e orientando-o atraves
de Produtos, Divulgação e Promoção. Para Manzini, o design do Pará a
sustentabilidade DEVE apresentar PROPOSTAS de Projeto Onde como materias
primas se baseiem em Renováveis Recursos, otimizando o Emprego dos
Recursos Renováveis NÃO Como o petróleo, ea NÃO Acumulação de lixo
Que o Ecossistema NÃO SEJA Capaz de absorver. O Consumidor TEM UM
papel Muito Importante, pois E ELE Que, Como individuo, TEM o Poder de
Decidir-se no ato da Compra, e Para quem devem Ser oferecidas
alternatives sistêmicas Socialmente aceitáveis e favoráveis Ao Meio
ambiente Além de Uma cultura adequada, parágrafo Que possam interpretar
corretamente e reconhecer o valor dessas alternatives.

2.3. Resultados

Dados Conforme fazer CEMPRE, comparando perfil de Coleta 2004 com
2006 encontramos o espantoso aumento de 5% em APENAS Dois ano sem
Tópico lixo plástico.

Graf12_ciclosoft2004Ciclo2005_img009

Verificando a Tabela 1 Podemos inferir that 39,73% fazer plástico coletado
no Brasil e de Embalagens Plásticas Descartáveis.

Sem título-1

Dos plásticos processados Rígidos 40% São Destinados Às Embalagens,
Desses 40%, 77% São Destinados a Produção de Produtos de Limpeza,
Refrigerantes, Produtos de higiene e Embalagens de Alimentos. 8

Plastico-rigido

Na busca de Uma Solução Para uma diminuição de Participação das
Embalagens Descartáveis Para Produtos de Limpeza tínhamos that
conhecer o perfil ponto Desse em Seu Conjunto, Como Mostra a Fig. 2.

Fffff

2.4. Destino das embalagens segundo hábitos de consumo

Um Exemplo de Sistema alternativo de Produção-Compra-venda de
Produtos de Limpeza São OS Vendedores ambulantes. Os Quais SAEM em
Caminhões Pelas Ruas, vendendo SEUS Produtos de um litro, a Neste Sistema OS
Consumidores reutilizam Embalagens parágrafo REPOSIÇÃO dos Produtos. Sendo
hum Modelo de Produção-Compra-venda com informal reutilização that
NÃO E Autorizado Pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A Pesquisa de campo confirmou OS Resultados da Pesquisa de Mercado,
Realmente Os Quatro Produtos Mais Vendidos São desinfetante, amaciante,
detergente, Água Sanitária.

Porcentagem de produtos vendidos pelos ambulantes

A Pesquisa de campo revelou Que o USO das Embalagens Descartáveis
segue Uma Seqüência: consumo, reaproveitamento, Descartes OU
Reciclagem. Sua existencia Sugere Que, CONSIDERAÇÕES Legais à parte,
Existe UMA Tendência de reaproveitamento das Embalagens, Que Não São
destinadas Ao Descartes, o que “per si” indica hum viés à reutilização.
Tal Fato Acabou apontando hum Caminho Pará a desmaterialização
Sustentável, OU SEJA, fez-se necessaria a Criação de Um agente parágrafo
canalizar ESSA tendencia a reutilização da Embalagem, o SADP – Sistema
de Armazenagem e Dispensa de Produto.

2.5. Sistema de Armazenagem e Dispensa de Produtos – SADP

Consta do SADP, Além de Uma “Vending Machine”, um Sistema de
Serviço, focado nsa Hábitos do Consumidor, induzindo um hum consumo
Responsável e Sustentável. O SADP tem como função tecnológica a automação,

inovando no Uso de Componentes Como a utilização da
bomba peristáltica, rodízios Para facilitar o transporte e mangueira
FUNCIONANDO atraves de hum carretel retrátil. Como Função de uso,
armazenar, vender e DISTRIBUIR Produtos de Limpeza.

Vanessa-espinola & Dayane-Queiroz_SADPLA-15

O Objetivo Desse Sistema de Distribuição e PROMOVER o envasamento definitiva
do Produto, a Conscientização Sobre o Desperdício ea importancia do
“ato de reutilizar uma” Embalagem, implicando diretamente na Conservação
do Meio Ambiente, na Conscientização do Consumidor e definitiva na
possibilidade de PROMOVER o Poder de compra das Pessoas de baixa
renda.
O SADP E Composto POR materiais reciclados, o SUA parte externa
(Alumínio reciclado) é Sua parte interna (PET reciclado) São Presas POR
Parafusos, facilitando ASSIM um Separação tanto parágrafo Possíveis
manutenções Como parágrafo SUA 2ª Reciclagem, possui Sistema mecânico de
Baixo gasto de energético , e Seu Sistema de uso PODE funcionar Por uma
cessão de Direitos Onde o distribuidor parágrafo venda final, de modo paga cabelo
recarregamento dos Produtos de Limpeza ea Empresa Fabricante da
“máquina de venda automática” se encarrega da Manutenção e das Possíveis
implementações Tecnológicas, agindo Como hum freio à Indústria da
obsolescência programada.

2.6. Discussão

Concluimos Que o consumo de Embalagens Plásticas Descartáveis ESTÁ
aumentando, conforme do Fig. 1 A, 1 B e Tabela 1. Outra CONCLUSÃO
Possível E de that Esse aumento se transfere para á Composição do Lixo.
PODE-se concluir also that como PESSOAS preferem reutilizar Ao inves de
reciclar OU Descartar, Ordem Nesta. Outra conclusão que surge da Fig. 2 E
that OS Produtos de Limpeza Mais consumidos São amaciante, detergente,
desinfetante e Água Sanitária, portanto SUAS Embalagens devem
apresentar o MESMO PERFIL na Composição do Lixo.

3. Considerações Finais

A analise dos Dados à luz das premissas PROPOSTAS Pelos Autores, Além
dos Dados coletados, permite-SOE concluir Entre OUTRAS Coisas: é
Necessário Um produto concreto that desmaterialize o Atual Sistema de
consumo de Descartáveis e Que seja formador de Novos Hábitos de
consumo e eliminador De embalagens. Como classes A e B o utilizarão POR
Razões lógicas (Mc Cracken), e como classes C, D e E em Dois Movimentos:
lógicas Razões Primeiro POR, Redução de Preço, Segundo POR Razões
emocionais, ligadas estatuto ao (Baudrillard). Esse novo PRODUTO Ao
Recolher de forma radical o consumo de Embalagens Descartáveis de
plástico, promoverá Uma Melhor Qualidade de vida Compatível com OS
Conceitos da Sustentabilidade.

NOTAS
1. Brasil, 2001, p. 38
2. SENAI de 2002, p.5-83
3. Informativo CETEA, Vol. 10/11
4. Idem 3
5. Mallaguti, 2002, p. 139-145
6. BAUDRILLARD, 1995, p. 38-43
7. MANZINI, 2002, p. 44-46
8. Fichas Técnicas CEMPRE, a Plásticos Rígidos.

Referências
BAUDRILLARD, Jean. Uma sociedade de consumo. ED. Edições
70. Lisboa – Portugal, 1995.
Baxter, Mike. Projeto de Produto: Guia Prático Para o projeto
de Novos Produtos. São Paulo: Editora Edgard Blucher Ltda, 2000.
BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN: Meio Ambiente
e Saúde. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental.
3a. Ed. Brasília, 2001.
CASTRO, Bárbara; PELLEGRINO, Luciana. Associação Brasileira de
Embalagem. Meio Ambiente e Indústria de Embalagem. São Paulo,
SP: Editoração e Design, 2004.
DIAS, Genebaldo Freire. Educação Ambiental: Princípios e
Práticas. São Paulo SP: Editora Gaia, 2003.
MALLAGUTI, Cíntia. Impacto ambiental: Parâmetros Pará Projeto
de Embalagens O Caso do plástico. São Paulo – SP, 2002.
MANZINI, Ezio. O Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis.
Edusp: São Paulo – SP, 2002.
SACHS, Ignacy. Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável /
Organização: Paula Yone Stroh. – Rio de Janeiro: Garamond, 2002.
SENAI. Reduzindo, Reutilizando, Reciclando. A Indústria
Ecoeficiente, 2002.
VIANA, Gilney; SILVIA, Marina; DINIZ, Nilo organizadores.
O desafio da Sustentabilidade: um debate socioambiental no Brasil.
São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2001.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *